quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Interview: Luciana Silva

Vocês já leram por aqui entrevistas de pessoas que fizeram a redução de estômago e notaram que cada um reagiu de uma maneira certo?!
Mas, agora irão conhecer uma amiga super querida que foi recomendada pelo médico a fazer a cirurgia e tomou a decisão contrária.
Vamos conhecer?

Nome: Luciana Silva
Idade: 31 anos
Altura: 1,56m
Peso antes da dieta: 103kg
Peso atual: 87kg


Quais tipos de dieta que já fez para emagrecer?
Eu já tomei medicamentos, fiz dietas restritivas, dieta da lua, dieta da sopa, etc. Já tentei todo tipo de dieta para tentar atingir novamente meu peso saudável. Teve uma época, ainda na adolescência que fiz a dieta da maçã. Comia maçã, só maçã o dia todo. Hoje não consigo sequer saborear uma maçã.

Quando percebeu que seu peso estava fora do controle?
Eu luto contra a balança desde a minha adolescência, porém, necessitava na época de perder 2, 3 quilos. Eu sempre fui a mais gordinha da turma, mas eu só me dei conta do quanto eu havia perdido o controle do meu peso há mais ou menos 5 anos, quando eu comecei a sentir dores nas costas, nos calcanhares, nos joelhos, pés inchados ao ponto de não poder usar os sapatos que mais amava. Me sentia muito mal...

O seu peso já atrapalhou sua vida pessoal e/ou profissional?
A minha vida profissional não, eu nunca me senti "rejeitada" no local de trabalho ou em entrevistas de emprego por conta do meu peso, já a vida pessoal sim. Tem uma hora em que cansamos de ouvir: "nossa! você tem o rosto tão lindo!", com ar de pena. Você sabe o complemento da frase: "pena que é tão gorda". Já fui motivo de piada e ponto de referência. Muita gente diz que não se abala com determinadas situações, eu já não posso dizer o mesmo. Já passei muitas noites em claro, chorando, com ódio de mim por ser gorda.

Já deixou de fazer alguma coisa por conta do excesso de peso?
Muitas coisas. Já deixei de sair com amigas por não ter uma roupa que caísse bem, já deixei de ir ver meus amigos que não encontrava há muito tempo por vergonha do que pensariam em me reencontrar tão gorda. Já deixei de curtir numa boa um final de semana na praia ou na piscina, pelo fato de não querer ser vista com roupa de banho.
Já passei férias inteiras de camiseta e bermuda sentada na beira da praia. Eu sinto que deixei de viver muita coisa, muita mesmo, por conta do excesso de peso.

O que levou você a pensar em fazer a cirurgia para reduzir o estômago?
Na verdade eu nunca quis fazer a cirurgia, ela foi indicada porque o excesso de peso havia presenteado meu organismo com: diabetes, hipertensão, tireóide, colesterol alto, problemas na coluna, joelhos e calcanhares. Estava no grau 3 de obesidade, e corria risco de conquistar tantas outras doenças decorrentes da obesidade.

Por que mudou de idéia?
Eu vi de perto muitas histórias negativas decorrentes das cirurgias bariátricas, eu sempre fui muito medrosa para tudo que envolva médicos, cortes, etc. A hipótese de operara ao mesmo tempo que me abriu um raio de esperança em me ver livre de 45kg que tornavam meus dias mais tristes, trouxe pânico de viver coisas parecidas com as que algumas pessoas bem próximas estavam passando após esse tipo de cirurgia.

O que você não costumava comer e que agora é um prazer?
Beterraba. Eu dizia que tinha horror a beterraba, porém, nunca havia experimentado.
Hoje como e sou apaixonada.

O que deixou de comer para atingir seu objetivo?
Eu não cortei alimentos, eu reduzi. Por exemplo: pão francês. Eu como somente aos finais de semana, no café da manhã. Biscoito recheado que costumava comer um pacote assistindo TV, quando tenho vontade como dois, no máximo três. Pizza que comia fácil 3 pedaços, hoje como um, ou às vezes até meio pedaço.

Basicamente, como é sua dieta?
Eu como de 3 em 3 horas, Quantidades pequenas e de preferência coisas saudáveis (integrais, frutas, iogurtes, sucos e chá). Reduzi as porções do que como em 1/3. Assim, eu não passo fome. Se tenho vontade de comer algum alimento "proibido" eu como. Uso a lei da compensação. Se tomar um sorvete na sobremesa do almoço, corto o arroz do jantar. Como somente a salada com um grelhado. Eu também evito misturar carboidratos na mesma refeição. Se como purê de batatas, não como arroz, e por aí vai.

Você faz exercícios físicos ou tratamentos estéticos? Se sim, quais?
Hoje não faço nenhuma atividade física por ordem médica. Estou com algumas complicações na coluna e joelhos. Vamos aguardar o resultado de todos os exames, diagnósticos para ver qual a atividade será liberada. Tratamento estético também não tenho feito  por falta de grana. Mas pretendo começar a fazer drenagem linfática até maio na minha rotina.

Em sua reeducação alimentar, você faz uso de suplementos vitamínicos?
Não. Por não ser uma dieta restritiva, consigo ingerir tudo que meu organismo precisa para trabalhar bem e de forma saudável.

Faz uso de medicamentos para inibir o apetite?
Sim. Hoje eu ainda sigo o tratamento com sibutramina, porém, tenho deixado de tomar aos poucos e acredito que hoje não necessite mais do medicamento para seguir a RA.
Hoje existe muito preconceito quanto ao uso de medicamentos para tratar a obesidade, porém, muita gente se esquece que obesidade é uma doença como outra qualquer e que precisa sim de medicamento quando acompanhada por médicos. A sibutramina não é um inibidor de apetite, ela atua no cérebro, mandando uma mensagem para o seu estômago de que você já está satisfeita, assim você não devora mais um prato de comida por gula. Eu usava sempre no período da tarde, pois o mais difícil para mim era quando chegava em casa e sentia o cheiro da comida da mamãe. Hoje eu tenho muitos comprimidos parados, já que não sinto mais a necessidade de usá-los para não comer por gula. Hoje consigo comer a quantidade correta.
Isso já havia sido previsto pelo médico quando iniciamos o tratamento.
Muita gente usa esse tipo de medicamento como um motivo para não comer e assim conseguir uma perda de peso maior. Isso é extremamente errado. Ele deve auxiliar no tratamento, te ajudando a se reeducar no momento da alimentação.
Um tratamento levado a sério e feito com acompanhamento médico e da forma correta, da resultados e não causa efeito sanfona.

Para você, qual o primeiro passo importante para iniciar a reeducação alimentar?
Admitir que você é o único responsável pela sua saúde e que sendo assim é o único que poderá dar um passo importante para mudar seus hábitos. Tem que ser racional. Não adianta achar que a cirurgia, o remédio, a academia, sozinhos farão milagre. Precisa ter responsabilidade.

Que dica você deixa para as pessoas que gostariam de iniciar o processo de emagrecimento?
A primeira dica é procurar um profissional que lhe passe confiança e que vá dar toda assistência nesse processo que não é nada fácil. A outra dica é não desistir na primeira "jacada". Comeu demais hoje, coma menos amanhã. Não desistir é a chave. Não queira emagrecimento rápido, queira um emagrecimento saudável, eficaz e definitivo. Se levou anos para ganhar peso, por que quer perder em pouco tempo? Que leve anos para atingir o peso ideal, mas que tenha saúde para sempre.


Agora, a parte que todos aguardam!!!!
A Lú, mais linda ainda!!! Afinal de contas ela é gata em qualquer tamanho!!!



Olha que mudança ein!!
Lú, você está mais que de parabéns!!! Fico muito orgulhosa da sua força de vontade, porque realmente NÃO É FÁCIL!

Lembram que a Lu nos deu uma dica de boneca virtual AQUI?
Então, para vocês notarem a diferença de peso dela, fiz uma bonequinha!!!



Olha a diferença!!! Que maravilha!!!
Lú, já coloquei você morena verão 2012 para te inspirar mais ainda!!!

Obrigada pela entrevista e por nos contar sua experiência! Quando atingir sua meta, volte aqui para nos contar e mostrar no novo shape! E dessa vez, sem boneca tá?!

2 comentários:

  1. ahhhhhhhhh eu quero uma bonequinha dessa ai rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Quero uma reportagem tbm.... :o)

    Ariane Cavinato

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...