segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Quarto Mês: Terceira Semana




Vamos começar o ano com mais um capítulo pós-cirúrgico? Simmmm!!!
Para acompanhar as postagens anteriores é só clicar AQUI!

Já no dia seguinte, depois de me arriscar a tomar um pouco de café com leite sem açúcar e 1 bolacha água e sal.
Estava com o pé esquerdo imobilizado por conta da luxação que ocorreu na queda e a previsão era ficar 7 dias. Logo após o café da manhã, entrou o Dr. Jean, infectologista dizendo que seria um dos médicos a me acompanhar e que meu caso era grave. Como eu havia feito somente um raio-x do pé, ele sugeriu uma tomografia para ter certeza que não havia comprometido os parafusos que tenho no tornozelo. Disse também, que aparentemente eu estava desnutrida, que iria solicitar uma série de exames e que iria conversar com outro médico da equipe, o neurologista Dr. Luis Fabiano para me avaliar e pedir mais alguns exames se necessário.

Logo após a saída do Dr. Jean, os enfermeiros já vieram me buscar para fazer a tomografia, e graças a Deus foi só uma luxação mesmo. Um problema a menos!
Depois, o Dr. Luis Fabiano entrou no quarto, se apresentou, e disse que analisou meus exames de sangue e disse que meu caso era muito grave mesmo, que meu quadro de desnutrição estava fortíssimo e que o formigamento que eu sentia nas pernas e nos braços eram sintomas do início de uma paraplegia, e que se isso acontecesse seria irreversível. Por isso, o tratamento seria longo, doloroso e que eu não tinha previsão de alta.

Minha mãe e eu escutamos tudo atentamente e confesso que não absorvi com muito pânico. Esse diagnóstico foi passado no sábado e eu pensei que no máximo no final da semana estaria em casa. O Dr. Luis Fabiano disse que eu deveria fazer um exame chamado eletroneuromiografia, que ele era bem chatinho e doloroso, mas que era preciso saber o quanto de dano a desnutrição fez no meu sistema neurológico.
Com os resultados dos exames de sangue ele já pode identificar que eu estava com uma doença chamada polineuropatia carencial grave, essa doença afeta dos nervos sensitivos e motores das pernas. Farei um post bem detalhado sobre essa doença e vocês conseguirão ter a dimensão do estrago que uma equipe pós-cirúrgica pode fazer com um paciente achando que todos os sintomas eram psicológicos.

No mesmo dia, veio a fofa da minha nutróloga a Dra. Telma. Também pediu mais alguns exames e com os resultados me pediu para tomar suplementos alimentares, para que meu organismo parasse de absorver a massa magra (os músculos).
Ela pediu para que eu parasse imediatamente de tomar ferro, porque o que eu havia recebido nos últimos meses pela outra equipe estava fazendo mal para os meus rins e isso poderia afetá-los ao ponto de ter que fazer hemodialise. Era o que me faltava né? Pelo amor de Deus, não consigo nem imaginar uma situação dessas.

A eletroneuromiografia seria marcada para a próxima segunda-feira, só assim saberíamos se o sistema neurológico havia sido muito prejudicado e se conseguiríamos reverter o meu quadro, porque até então tudo era incerto.

8 comentários:

  1. Affff meu namorado e a irmã dele se submeteram a eletroneuro por conta de uma neuropatia... ninguem merece rs..... to anciosa pros proximos capitulos !!! beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Tatiana! Achei seu blog meio sem querer querendo e acabei de ler todos os capítulos da fase ruim da sua cirurgia. Menina, quase chorei. Graças a Deus vc está melhor! Estou muito curiosa para ler os próximos capítulos.
    Ah, só para constar, fazem 18 dias que fiz a gastroplastia. Estou com dores ainda, provavelmente gases, mas estou me sentindo bem. Tudo isso que vc relatou me deixou com um medo danado, mas sei que cada caso é um caso. (E no meu teve um episódio ruim tb, 3 dias após a cirurgia senti dores fortíssimas, voltei ao hospital e foi constatado que meu intestino estava torcido, resultado: pleno natal e eu no centro cirurgico novamente. Mas graças a Deus tudo passou!). Não demore muito para contar o resto!!! Fique com Deus. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Tati (já to me axando íntima! rs),
    eu to chocada com sua historia!
    Tenho tantas perguntas na minha cabeça, mas deixarei para faze-las qdo ler mais. Devorei todo seu relato.
    Apesar de triste e preocupante, adorei o seu modo de escrever! Uma pitada leve de humor,mesmo numa narração tao pelejada, fez todo diferencial.
    Aguardo ansiosa seu proximo relato!
    Michele.

    ResponderExcluir
  4. Leticia!!! Fico muito contente que esteja gostando do blog! Tento passar para vocês o que realmente senti naquele momento, mesmo sendo tudo muito trágico, eu tentava levar da maneira mais suave que conseguia!

    Agora menina, que susto que passou ein?! Todo cuidado é pouco nos primeiros meses de tratamento. Por isso que digo e repito, se não ficou satisfeita com a resposta que teve, procure outra opinião. Eu não fiz isso e deu no que deu. Mas Graças a Deus que você está bem!! Fico imensamente feliz! Tenho certeza que brevemente vc estará além de deslumbrante, com muito mais saúde!!!

    Venha sempre aqui no blog deixar comentários, eu amo!! hehehehe

    Essa semana sai mais um capítulo da tragetória!!

    Um grande beijo,
    Tati

    ResponderExcluir
  5. Oi Michele!! Pode me chamar de Tati sem problema algum! Aliás, quando alguém me chama de TATIANA eu fico com medo pq vem chumbo grosso na certa! hahahaha
    Fico MUITO feliz mesmo que esteja gostando do conteúdo do blog, faço tudo com muito carinho para vocês!
    Essa semana sai mais um capítulo! Espero vê-la sempre aqui nos coments!!!
    Super beijo!
    Tati

    ResponderExcluir
  6. Tati,

    Estou curiosa para saber mais do seu pós operatório, estou acompanhando tudinho..Bjs

    ResponderExcluir
  7. Tati, kd a continuaçao do pós? todo dia olho pra ver se vc ja postou.
    bjinhos!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...